Teremos um segundo Sol no Sistema Solar em 1,35 milhão de anos?



Em 1.35 milhão de anos, a estrela Gliese 710, localizada atualmente na constelação de Serpens, a mais de 64 anos-luz da Terra, passará pelo Sistema Solar. Ela não atingirá o nosso planeta e nenhum outro, apenas passará nos limites do sistema, na região conhecida como Nuvem de Oort e permanecerá em seus limites por alguns milhões de anos.



Trajetória de Gliese 710.

Nesse local, encontra-se uma nuvem esférica, formada por corpos celestes, tais como cometas e asteroides. A aproximação dessa estrela causará uma perturbação nas órbitas desses corpos e aumentar drasticamente a quantidade de cometas observáveis e consequentemente provocará uma forte chuva de cometas no Sistema Solar interior, que possivelmente atingirão a Terra e outros planetas.

“Nuvem de Oort” (Créditos: ESO/L. Calçada – Observatório Europeu do Sul)

Caso a humanidade ainda exista daqui mais de 1.35 milhão de anos, a Gliese 710 será vista como o astro mais brilhante ao cruzar nosso céu noturno. Será três vezes mais brilhante do que Sirius e superará o brilho de Júpiter e outros planetas além de Vênus. Ela tem aproximadamente metade do tamanho do Sol, mas ainda estará a uma distância muito grande para servir como fonte de luz da mesma forma que nosso Sol.


Vênus como o ponto mais brilhante no céu (Foto: wikimedia commons).
Referências:

Astronomy & Astrophysics
ESO

Nenhum comentário